ATENÇÃO SITE MELHOR VISUALIZADO NO CHROME OU FIREFOX

O que você procura?

Neon Azul de Eric Novello

Olá amigos,

Li Neon Azul já a algum tempo porém não tive a oportunidade de resenhá-lo aqui, pois bem, finalmente a minha resenha sobre ele :) tentarei o menos possível fazer spolier, pois a graça da história está em lê-la sem conhecê-la muito antes, pois todos os contos estão interligados :)

Neon Azul foi escrito pelo escritor e amigo Eric Novello e a história em grande parte se passa dentro de um bar, um daqueles inferninhos onde acontece de tudo, pois bem o nome do Bar é Neon Azul^^ e digo que, por todas as histórias se passarem nele, o bar praticamente é o personagem principal desta trama muito bem escrita.

O neon não está onde está para qualquer um, ele parece que escolhe os seus clientes, pois muitos sempre passaram por ali e nunca o tinham visto até um dia em que entraram.

A narrativa é feita ora em primeira pessoa, ora em terceira e todos os personagens estão conectados entre si de certa maneira. Eles nos são apresentados em um capítulo e no outro somos pegos de surpresa quando um dos personagens, que para nós quase passou batido, retorna. Não tenho como explicar muito bem, mas é assim, o primeiro narrador narra em sua visão, mostra outros personagens, depois, no outro capítulo um destes personagens toma a fala e narra do jeito que esclarece certas coisas que não foram bem esclarecidas pelo primeiro narrador... é coisa de louco e muito gostoso de ler, o que faz deste livro um verdadeiro romance e não um livro de contos, como aparenta a primeira vista.
Essa é uma leitura que não enjoa. O legal de tudo é o tom sobrenatural das histórias (amo o sobrenatural!!!^^) que faz a gente se envolver bastante, sabe quando a gente lê algo e se sente dentro de um filme, pois bem, comigo foi assim :)
O problema é que se a gente se envolve muito também leva uns sustinhos, e até sente um pouco do medo que rodeia as histórias. Também tem algumas cenas que me fizeram rir e outras cenas são um tantinho calientes, claro que esta é uma leitura para jovens adultos, tipo 16 anos em diante, viu! molecada da escola que me lê agora?, mas o livro não pode ser considerado uma obra de tema erótico de maneira nenhuma. Os personagens são variados e envolventes e se envolvem entre si, uns se matam, se encontram por acaso, ou não, fazem sexo e por aí vai e por serem frequentadores de inferninho dá para imaginar bem a variedade deles :) que para saber qual é  e o que fazem tem que ler o livro. ^^

Bem, esta é uma leitura recomendadíssima, Eric escreve super bem e se não o conhecesse pessoalmente, faria a mesma pergunta que alguns fazem: ele existe??? Pois o cara é único :) e uma pessoa delícia de se trocar uma idéia :D

Abaixo alguns trechos do livro retirados do site de Eric

“A saleta estava cheia de fumaça. O sopro gelado do ar condicionado espalhava uma parte do que era liberado pelo charuto e pelas baforadas. Não consigo me lembrar da imagem Dele. Apenas das roupas. As malditas roupas que eu costumava usar quando queria ser mais do que os outros. O sapato italiano, o chapéu, o terno impecável. Eu, um mendigo, vestido como a sorte permitia, com as roupas mais limpas que eu podia ter. Ele com os cabelos lisos brilhando, eu com o emaranhado rente à testa. Apesar do banho tomado, eu me sentia um verdadeiro lixo”.

“O fato é que não dormia e isso lhe havia rendido uma imensurável quantia de dinheiro. Sua última noite de sono havia sido aos quinze anos e por não saber que seria a última, Armando foi se deitar tarde, lendo um livro de vampiros, e não a aproveitou como poderia, com a mão direita enterrada entre os travesseiros e a esquerda enfiada na cueca listrada. Trinta anos se passaram sem que pregasse os olhos um momento sequer. Nem um cochilo ele conseguia tirar”.

“Me levantei para pegar um documento na gaveta da estante. Em cima dela, havia um boneco de pano dentro de uma garrafa. Era feito de uma linha marrom bem grossa, similar a de sacas de arroz. Possuía olhos de botões verdes, unhas feitas de agulhas de costura e se mantinha de pé, invariavelmente, apesar de sua aparência molenga. Tinha sido um presente de Armando, futuro gerente de um inferninho que eu havia ajudado a manter aberto, livrando-o de um processo. No dia que me entregou o boneco junto com o cheque, disse que era um amuleto de boa sorte diferente e que eu deveria mantê-lo por perto quando estivesse trabalhando. Meu chefe abriu um sorriso de orelha a orelha quando viu o boneco na sala, ainda largado sobre a mesa. Nem pense em levá-lo para casa, disse ele, quero vê-lo sempre que passar por seu escritório”.

“Tal qual Moisés à beira do mar, Murilo abriu caminho até o espelho, encarando o reflexo que o convidava a se aproximar. Apoiou de leve as mãos nas mãos de sua imagem invertida, jogando o peso do corpo sobre elas. Curvou-se com cuidado sobre a pia, puxou o joelho para cima do mármore e atravessou o rosto até o outro lado. Seu prisioneiro continuava lá, amordaçado no canto do banheiro invertido, os cabelos brancos sujos de sangue seco”.

Resenha Oficial:

Um homem que não dorme nunca. Um advogado com um cramulhão na garrafa. Um assassino que atravessa espelhos. Um escritor que não consegue prender sua personagem no papel. Esses são alguns dos frequentadores de Neon Azul, um bar diferente para cada cliente. Escolha o seu lugar, faça o seu pedido. Depois do primeiro drinque, você jamais será o mesmo.

Neon Azul é uma boate onde habitam os seus mais sombrios desejos e tentações. É um lugar diferente, repleto de acontecimentos estranhos, mas que poderia estar na esquina da sua casa ou no caminho entre o trabalho e o metrô. Enquanto acompanha a história do bar e de funcionários e clientes peculiares, descubra que realizar seus desejos pode ter efeitos colaterais imprevisíveis.

Homens de negócio, prostitutas, artistas e boêmios imersos em uma solidão que só quem passeia pela noite já experimentou, um sentimento comum aos que vivem cercados de gente, com um sorriso no rosto e um copo na mão.

Nesse jogo de luzes e sombras que revelam a fantasia e encobrem a realidade, está nas mãos do leitor a decisão de acreditar ou não no que lê e decidir quem conta as verdades e as mentiras ao longo da história.

Assim como o insone gerente do bar, o leitor terá muito o que lembrar quando deitar na cama e fechar os olhos por própria conta e risco.
 
 
 
Quero comprar a versão digital e relê-la, pois a de papel já conheço e por ser de papel foi vítima de uma ataque canino com outros seis livros meus na semana passada, dois deles que ainda estavam para ser lidos ahhhhhh :(,  é minha gente, ter um chihuahua morando dentro de casa não é fácil não, ele tem compulsão por comer papel e as primeiras vítimas foram meus livros :((. Mas agora os outros livros estão seguros e as vítimas do ataque tiveram quase perda total :( se alguém quiser me dar outros de presente eu aceito: O caso Laura, A sombra no sol, (tb do Eric e o pior autografado, quase morri com essa perda) Turno da noite volume 2, o diário de Anne Frank (esse eu ainda ia ler), Jogos vorazes (esse também eu ainda não tinha lido) e por fim, mas não menos importante Amor nos tempos do blog.

Um comentário:

  1. Olá
    me chamo Luana e sou do Paraná, encontrei o o seu blog é muito legal, esse livro parece ser interessante e vc escreve super bem!
    parabéns pelas resenhas muito bem elaboradas.
    ah lamento pelos livros perdidos tb tenho um cão pequeno, um pincher e ele tb é destruidor, o jeito é deixar as coisas longe do alcance dele e torcer para que isto não ocorra mais, beijos.

    ResponderExcluir

Olá! Deixe seu comentário e volte assim que possível para ler a resposta^^